Manchete do blog O Arauto: “Gigante da tecnologia Apricot tem lucros 19% maiores”. Alfredo, leitor da notícia, imediatamente entendeu que a mega indústria tecnológica Apricot aumentou o faturamento em aproximadamente US$ 9,5 bilhões. Isso porque ano anterior a receita da Apricot tinha sido de aproximadamente US$ 50 bilhões. Não foi bem na análise, porque o conceito de Alfredo para faturamento, receita e lucro era, até ali, muito simplório.

Tudo bem (ou quase): Alfredo era um jovem estudante que acabara de ingressar no ensino médio. Por força das atividades escolares, precisou fazer um “trabalho de campo” na ACMEX2000 Ltda e se viu em apuros.

O desafio de Alfredo

Termos como “receita”, “faturamento” e “lucro” podem parecer simples ou confusos em casos diferentes. Isso acontece porque são usadas com significados distintos em contextos variados. Alguns aprendem que lucro é o que sobra, mas não é incomum encontrar quem confunda “lucro” com “receita” ou “faturamento”. Imagina quando o Diretor da ACMEX2000 permitiu que Alfredo assistisse a uma reunião com a consultoria? Ele introduziu variações novos termos como, por exemplo, “lucro contábil”. A coisa se complicou, ainda mais, quando a conversa se aprofundou e um consultor introduziu nas discussões variações à “receita” dividindo-a em “bruta”, “líquida” e “operacional”. Danou-se. Alfredo precisa correr para entender melhor e não ficar pra trás.

Alfredo começou por Faturamento

Alfredo entendeu que quando se diz que a empresa faturou, normalmente está se dizendo que ela emitiu um documento como nota fiscal, um recibo ou uma nota de débito. Quando é feita uma venda, um desses documentos é emitido e aí diz-se que houve um faturamento. Mas Alfredo observou que quando se fatura uma venda, isso não significa que o dinheiro está no “caixa”: no valor faturado estão, também, impostos que devem ser descontados e recolhidos ao fisco. Alfredo entendeu que quando a ACMEX2000 fatura uma venda de R$1.000, quase R$400 são recolhidos em tributos! Dedução de Alfredo: “faturamento não é lucro, porque lucro é o que sobra!”

Como entender melhor a Receita?

Quem nunca confundiu receita com lucro ou com faturamento? Alfredo não escondeu: ele sempre confundia. Isso acontecia porque o conceito de receita também pode variar de acordo com a atividade de cada empresa. Para entender, Alfredo dividiu receita em duas definições:

  • Receita Bruta – Quando o montante analisado corresponde ao faturamento, isto é, somando-se tudo o que se faturou em determinado período, tem se a Receita Bruta. Então, se a ACMEX2000 emitiu 250 notas fiscais com o valor médio de R$1.000 em determinado período, sua Receita Bruta foi de R$250.000! Mas, lembre-se, ela não “ganhou” isso tudo. Dessa receita devem ser retirados os impostos, os custos, as comissões etc.

  • Receita Líquida – A receita líquida é diferente em empresas diferentes, porque devem ser descontados tributos diferentes, de acordo com a atividade e o estado em que ela funciona. Alfredo entendeu que, descontados os tributos que incidem diretamente no faturamento, a receita líquida passa a ser o saldo líquido que entrou para a ACMEX2000. Em poucas palavras, tiram-se os impostos do faturamento e tem-se o dinheiro que entrará na empresa.

Enfim, o Lucro!

Tão desejado pelos acionistas ou quotistas, principal fundamento para a sustentação dos empreendimentos, o Lucro também pode ter definições diferentes: “lucro bruto” ou “lucro líquido”. Alfredo achou mais simples anotar matematicamente a diferença entre os dois:

  • Lucro Bruto = Receita Total – Custos Variáveis

  • Lucro Líquido = Receita Total – Custos Fixos – Custos Variáveis

Faça como Alfredo: invista em conhecimento e tecnologia

Não é só de Alfredo a exclusividade da dúvida sobre conceitos utilizados na gestão das empresas. É por isso que se investe em consultorias especializadas e em sistemas de gestão que dêem suporte aos empreendedores.

O sistema UpGestão é um ERP online que te permite acompanhamento em tempo real das suas receitas, despesas e lucratividade. Foi desenvolvido para atender a pequenas, médias e grande empresas, sejam elas do Simples Nacional (ME, EPP e MEI), Lucro Real ou Lucro Presumido. Ele é perfeito para quem deseja começar a gerir o negócio com maior eficiência e menores custos.

Experimente agora mesmo e veja como é simples e fácil.

Dê um UP na GESTÃO da sua empresa

Experimente Grátis UpGestão