Quem não conhece um líder autocrático, daqueles centralizadores e individualistas? Imagine esse líder desconfiando das competências e dos talentos de seus liderados. Agora imagine-o assoberbado de tarefas que, acima de tudo, “só ele pode realizar com o nível de qualidade que ele deseja”. Da mesma forma, imagine sua lista de coisas importantes a fazer. Lá está a atualização do fluxo de caixa? Sinal de alerta! A periodicidade da atualização do fluxo de caixa deve ser prioridade em qualquer empreendimento. Na medida em que pagamentos e recebimentos acontecem diariamente, as informações precisam ser registradas com precisão. O contrário disso pode significar uma decisão errada e o comprometimento da saúde financeira do empreendimento.

O diagnóstico da Causa Mortis

Preocupado em identificar a causa do fechamento prematuro das empresas e as chances de sobrevivência dos novos negócios de um a cinco anos, o SEBRAE SP realizou a pesquisa “CAUSA MORTIS – O sucesso e o fracasso das empresas nos primeiros 5 anos de vida“. Dentre números alarmantes, o relatório mostra que o principal motivo apontado pelos empreendedores de terem fechado suas empresas é a falta de capital ou lucro, devido a falta de planejamento. Mais:

  • 39% das empresas encerradas não sabiam qual era o capital de giro necessário para abrir o negócio.
  • 53% das empresas em atividade afirmam que é preciso acompanhar rigorosamente receitas e despesas.
  • 7% das empresas em atividade (contra 8% das empresas encerradas) afirmam que a estratégia para atrair clientes considera importante facilitar o pagamento a prazo.
  • 6% dos empreendedores que abriram o negócio com recursos próprios negociaram prazos com os fornecedores.
  • 14% afirmam que no primeiro ano tiveram dificuldades com falta de capital/lucros.

Com base nessas evidências, elaboramos uma relação de 5 diretrizes essenciais para manter o fluxo de caixa no azul.

Diretrizes Essenciais para o Fluxo de Caixa

#1. Aumente sua carteira de mensalistas e combata a despesa fixa

Uma das maiores dores de cabeça do empreendedor está em equilibrar os itens de receitas e despesas, em especial quando o seu fluxo de caixa aponta muitas despesas fixas e receitas normalmente variáveis. A insegurança é um grande fator de estresse. É preciso criar ações que gerem uma receita constante, por exemplo, criando uma carteira de mensalistas que garanta uma receita fixa. As despesas fixas são mais complexas, porque costumam ter características quase inevitáveis. A dica é combater as despesas fixas, procurando não contratá-las e, se inevitáveis, encontrar formas de negociá-las ou criar novas utilidades para os bens e serviços contratados. Por exemplo:

  • Um cinema é um negócio que atende ao público tipicamente à noite ou à tarde. É possível aproveitar sua estrutura na parte da manhã?
  • Uma escola para adultos atende, principalmente, nos turnos da manhã e da noite. O que fazer com a infraestrutura na parte da tarde?
  • É possível optar por um espaço co-working ao invés de montar uma infraestrutura independente?
  • O serviço de TV a cabo de sua clínica pode ser compartilhado por outras clínicas da mesma unidade?

#2. Receba antes e pague depois

A tendência natural das negociações é que os compradores queiram pagar depois e os fornecedores trabalhem para receber antes. Se para fechar um negócio você tiver que inverter essa lógica, seu empreendimento estará em apuros. Pagamentos antecipados enfraquecem o caixa e recebimentos postecipados aumentam – e muito – os riscos financeiros. Negocie sempre para encontrar um ponto de equilíbrio. Aproveite as oportunidades de antecipação do recebimento e procure opções que permitam o desembolso ao final, sem que tenha que pagar juros por isso. A sobra de caixa você investirá para manter a correção monetária.

#3. Lembre-se: Parcelar para o cliente significa oferecer financiamento próprio

Muitas vezes é preciso disciplina e método para evitar ceder ao pedido de parcelamento do cliente. A não ser que seu negócio tenha como receita os juros embutidos nas prestações dos compradores, lembre-se que parcelar significa emprestar dinheiro. Que garantias você tem de que o empréstimo que fez será honrado? Quanto custa ter uma infraestrutura de gestão e cobrança de inadimplentes? Se parcelar for inevitável, estude outras opções como instituições financeiras ou máquinas de cartão de débito e crédito.

#4. “Seja realista nas previsões de entradas e muito mais ainda ao cobrá-las”

A Endeavor Brasil é uma organização global sem fins lucrativos que investe no suporte e valorização ao empreendedor no mundo todo. A dica que retiramos do seu portal (leia o artigo) lembra que, se você conta com uma receita arriscada está aumentando consideravelmente o risco do seu negócio. Finalmente, é preciso estar prevenido: entradas arriscadas devem ser retiradas do fluxo e mantidas à parte dentro da lista de ações especiais de cobrança.

#5. Use um software de gestão financeira

Acima de tudo é necessário ter precisão para se gerenciar com segurança um fluxo de caixa. O processo deve evitar a complexidade, ser simples e rápido. Um bom sistema como o UpGestão oferece uma solução online para que você tenha um sistema confiável que alinhe os processos, cuide do acompanhamento dos suas contas a pagar e a receber, além de oferecer os melhores relatórios para que as decisões corretas sejam tomadas.

Mas o UpGestão tem muito mais. Experimente agora mesmo e veja como é simples e fácil gerenciar seu negócio.